Panlogia como o caminho de cada um








Panlogia como o caminho de cada um


Panlogia não te fará ser uma pessoa que verdadeiramente não é. Não te fará mentir a si mesmo. Porque seu caminho já está traçado, é a tua natureza que compensa defeitos passados e prepara para o futuro, ao longo das vidas. Esse caminho é divino, e entre chineses se chamou de Tao, em especial o mestre Lao Tsé. Nossa cultura talvez chame de providência. Mas nada tem a ver com algo meramente moral ou religioso, porém carnal e relacionado principalmente a socialização. É em resumo a união entre os pólos yin e yang, ou masculino e feminino. Mas isso não se refere a pessoas, mas ao gênero que está em todas as coisas, pois segundo lei hermética todas têm gênero. E isso é unir o céu e a terra, o superior e o inferior, pois ambos são uma coisa só. O santo e a cortesã são uma coisa só. Do santo se caminha a cortesã, da cortesã ao santo, se o santo não estar preparado a liberação, e se volta, em um ciclo que se repete. Existe sim uma espécie de eterno retorno. E cada pessoa é divina e reflete um caminho, o meu não servindo para outro, nem outro me servindo. Por isso de se evitar ídolos e imitações. Se há de haver Cristo interno, ele se manifesta na mais perfeita harmonia de tua voz interior, não na voz de guias que estejam fora. Por isso tranca no teu quarto e ora em silêncio. A verdade maior será descoberta por ti, e ninguém pode te revelar a chegada nesse objetivo, mas apenas o caminho. Quem terá de caminhar será tu, panlogista.
Mas esse caminho não é tão simples. Sentimos-nos felizes e saudáveis quando estamos certos. Sofremos quando pecamos contra nós mesmos. A vida é uma dança e tem de se saber o passo certo a determinado ritmo. O caminho é seu, e a Panlogia fará afirmar esse caminho. Mas lembre que isso será dado por teu subconsciente, e que não estará aqui ou acolá, mas dentro de ti mesmo. Essa ponte contigo mesmo fará que conheças tua verdadeira natureza, e assim possa usufruir do prazer cheio de êxtase. Pois a harmonia de corpo e alma revela uma bênção, e deixe os doentes com seus erros. Tu és a cura, e a doença não existe, pois sabes que negar teu caminho é que te adoeces. As pessoas fingem ser o que não são, e assim se equivocam, tomando caminhos confusos, negando sua natureza. Pois não pode um peixe ser confundido com um falcão, e nem uma natureza cheia de vida a quem nega a vida. Pois já foi o tempo do peixe, e o cheiro da morte teve seu tempo. Agora é tempo de viver, e afirmação da vida é rotina do panlogista. Pois o corpo fala, e notarás teu caminho. Quando encontrar o equilíbrio, desde que não prejudique muito teus irmãos, saberá que o teu gênio começa a nascer. Pois você é um ser em 3D, não mera figura plana e superficial. Agora tens de viver na plenitude, e espera não fazendo nada, mas tudo está sendo feito. Pois o Todo sabe o que faz, e negar esse todo é gerar o mal. o mal tem sido invertido com o bem e mentirosos sempre existiram. Mas a mentira foi útil ao seu tempo, mas o caminho pode ser evitado, porém nunca negado completamente. O caminho divino é fatal, porque a Divindade está em toda a parte.

Pois saibas que o caminho é esse: a complementação dos opostos. Numa vida nasce mendigo e noutra nasce magnata. Assim não te entristeças, pois cada destino tem sua função. Essa é a roda das encarnações. Mas o que é grande continua grande, mesmo que escondido em uma veste de humildade. Não tinha Moisés de se reencarnar em Elias e Jesus, para afirmar o caminho? E uns Budas não são reencarnação de outros? E três Zoroastros, e assim por diante. E não teria antes Krishna sido um bebê nas águas do grande dilúvio? E Mohamed não teria aprendido com Abraão, reencarnando a aliança depois em Alá? Saibas que o caminho existe em teu corpo, e se chama meridiano. Os órgãos têm assim seus caminhos, e o universo é escrito em estrelas tatuadas invisivelmente no corpo. O corpo é o templo do Espírito Santo. Assim na dor e no prazer acaba por se ver uma coisa só, um gemido semelhante. Essa é a marca deixada por Deus. Mas a maior marca que temos está na alma, pois nela não há malo ou doença. A ilusão do falso caminho é que gera a confusão e a angústia. E Panlogia mostra que o caminho é de cada um, que ele entenderá o divino que vive nele mesmo. A vida é movimento. E quem está parado não está, pois nele está um universo inteiro. E Nuit egípcia é um corpo revelando grande mistério. A vida é uma demorada festa, uma festa que passa rápido. E o grande procura o pequeno, o claro o escuro, a luz as trevas. E nada há que seja separado, mas é da união das coisas que teremos a verdade, o caminho. E Lúcifer estava dentro de Jesus, um inimigo interno. Assim temos nossos inimigos, mas são dos opostos que vem a síntese. No mundo em que vivemos de dualidade, essa é a fórmula. E caminhos de um oposto a outro, e assim através de muitas vidas, até uma plenitude. Então tudo é importante, tudo tem de ser vivido. Quem nega as coisas as afirma de outro modo. É inútil não afirmar o seu próprio gênio ou anjo, pois ele vive através de nós. Somos arquétipos encarnados. Mas um guarda o seu oposto, e assim vamos de um a outro, de naturezas escorpianas a capricornianas, de planetas e estrelas opostos, de modo que afirmamos a harmonia cósmica. Somos um pequeno universo, um microcosmo. A Panlogia não é coisa pequena, e ninguém se exclui dela. E os números se encarnam, uns são 1, outros 6, outros assim se opõem, uns cuidam da família, outros de si mesmos. Fato é que cada um saiba o que é, para não se gerar maior confusão e se desperdiçar seus talentos. O caminho divino revela os talentos e a felicidade.  

Comentários

  1. Mariano Soltys: continue me brindando com seus escritos. Muitos autores falam em complementariedade, mas poucos explicam como funciona esta dinâmica, quem sabe você não abre um tópico para explicar isto. CLÉVERSON ISRAEL MINIKOVSKY

    ResponderExcluir
  2. Me fez lembrar de pensamento do místico Angelus Silesius: "E assim a pequena gota se transforma em mar quando chega até ele; e assim a pequena alma se transforma em Deus quando é nele acolhida..." Bom pensar que assim como a divindade, também estamos nós em toda parte. Ótimo reflexão Mariano, abraços. Pequena discípula Nádia

    ResponderExcluir
  3. Querida Nadia.. vc é pequena em tamanho mas grandiosa em sabedoria. E legal a lembrança do místico.. acho que por eu tentar ser místico também. volte sempre as minhas reflexões. bj

    ResponderExcluir
  4. Estava esse sábio texto lembrei do filosofo: Friedrich Nietzsche pois todos nós temos um caminho a seguir dentro dessa sociedade desigual, cheia de preconceito, onde muitos se escondem em religião, mas só um caminho a seguir e a panlogia me desperta a fazer varias interrogações. Cada dia que leio seus textos sobre a panlogia, fico a interpretar a procura de resposta. Bjus Mariano vc esta me deixando a imaginar muito.

    ResponderExcluir
  5. Que bom que vc adivinhou, querida Nery... pois Nioetzsche foi uma das minhas várias leituras.. o autor que devo ter lido mais.. por sinal. Acho que o contraste entre uma sociedade de fé em choque com a razão gera essa dialética, onde tiramos o melhor em síntese, não em apenas uma tese ou outra. bj

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Medicina Oculta – Comportamentos que geram doenças

Por que às vezes nos achamos feios?

Paradoxos e mentiras do nosso tempo