Sociabilidade

SOCIABILIDADE

                                                              

O ser humano vive em grupo, é um animal social, como disse Aristóteles. Vemos que a figura do gênio acaba por vezes meio antissocial, mas por fim acaba colaborando sobremaneira com a sociedade.
Mesmo o complexo de messias é uma forma de se sacrificar sozinho pela sociedade. Vimos isso bem presente em guerras, e quase sempre a figura do herói está envolta de uma força coletiva, de uma concentração de mentes em um totem, representação do Todo, ídolo.
A sociabilidade dá acesso a muitos setores da vida, inclui, e nessa inclusão o ser consegue firmar sua personalidade. Há uma construção do Ego, uma forma de se ver com o mundo, fazendo sentir-se parte do mundo. O amor aparece, um sentimento de carisma e contentamento.
A amizade e o namoro depende muito da sociabilidade. Cada vez mais vemos que os grupos e as tribos dão sentido a vida das pessoas. De certo modo a própria comunhão em uma igreja afirma já essa tribo, essa identidade de cada um dentro de seus pares. Uma confraria é construída, uma fraternidade, como se fizessem parte de um mesmo sangue,de uma mesma alma.
O pensador se vê em dificuldade frente a sociabilidade, pois não gosta de senso comum, não gosta de modas ou de valores que muitas vezes são os comuns na sociedade. deste modo acaba com certo estigma por parte de sua comunidade, se vê excluído de festas, de eventos, de aniversários, de uma série de locais onde há acesso
Vemos que o bom diálogo facilita a sociabilidade. A timidez prejudica, mas cada um tem a sua porção de introversão. Muito das pessoas fica desconhecido. A janela de johari, que é método de revelar o essa porção de lado pessoal que melhora a confiança das pessoa, dentro de um grupo.
Claro que em uma atividade de dinâmica de grupo se pode efetuar uma aproximação física das pessoas, o que abre caminho para a maior sociabilidade e interação inter-pessoal. Claro que uma roda de amigos, de cerveja ou chimarrão também colabora, e vemos que em nosso município é raro esse costume.
Também técnicas de behaviorismo e sempre uma humanização das pessoas, a valorização de suas qualidades, para que cada um conte a sua história, seus gostos e tenha sempre a sensação de sentir-se integrado. Pelo contrário, a desintegração da personalidade gera a loucura, e parcelas ilusórias compensam aqueles que poderia ser reais. Já em manuais de psicologia se nota que os transtornos mentais acabam por afastar de qualquer relação social. A sociabilidade tem grande papel na cura.  

Excerto de programa de rádio Filosofia é liberdade, que apresenta junto a Cléverson Israel Minikovsky, na 87,9 FM, às 21;40 de todo sábado

Comentários

  1. Tão importante quanto a sociabilidade é o ser humano ser o fundamento de si mesmo. Porque se todo alguém quiser estar apoiado sobre alguém deverá haver alguém sobre o qual os outros estejam, ao menos do ponto de vista moral, apoiados. A sociabilidade é algo profundo que nos leva a valorizar a externalidade do comportamento. Porque uma santidade teórica, do ponto de vista comportamental, é menos digna do que uma consciência relativamente má, que, no entanto, comunica ao circundante afabilidade e cortesia. CLÉVERSON ISRAEL MINIKOVSKY

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Medicina Oculta – Comportamentos que geram doenças

Por que às vezes nos achamos feios?

Paradoxos e mentiras do nosso tempo