A realidade como ponto de vista

A realidade como ponto de vista

A relação do ser com o objeto parece que muitas vezes se vê desfocada pelas suas idiossincrasias. Ademais, o seu apriorismo e a sua forma de ver o mundo altera a interpretação e a hermenêutica em relação a esse. O mundo pode ser um céu ou inferno, dependendo de quem vê o mundo. Claro que as vicissitudes da vida explicam o que semeou anteriormente, mesmo o que a família semeou, os maus hábitos e maus pensamentos.
Baltasar Gracian falou para “não esperar o Sol se pôr. Deve-se assim evitar o declínio para não se chocar com o infortúnio”. Vemos que muitos insistem no declínio interpretando o já fracassado como não sujeito a mudança, quando quem tem de ver o mundo de outro modo é a própria pessoa. As pessoas seguem dois extremos: ou elas acham que está tudo bem, quando a realidade os contradiz, ou que está tudo mal, e mais uma vez elas erram. Maquiar demais a realidade é mentir pra si mesmo.
As coisas são em mim. Desse modo sou eu que vou julgar se a realidade é ou não é. Claro que muitos contatos com a realidade serão imediatos e através de sentidos, sem dar tempo à reflexão filosófica. Berkeley fala que o uso correto das palavras que irá marcar as coisas. Usar então de palavras bonitas fará com que assim seja a nossa realidade, ao menos em potencialidade.
Marco Aurélio falou que “o mundo é transformação e a vida ideias”. Vemos que a busca de sabedoria reinterpreta o mundo onde vivemos. Quando se sabe que a matéria é passageira e que o espírito é eterno, muitas coisas mudam de valor. “Todas as coisas coesistem no ser único e total a que denominamos Mundo”. De certa forma Deus é o Universo, ou está nesse em emanação. A realidade é então una e divina.
Leibniz disse que “nossa alma sabe virtualmente de tudo” e que “temos em nós todas as ideias”. Essa reminiscência e mesmo tudo que é inato nos faz perceber que há esperança de uma realidade cada vez melhor ao nosso entorno. Vemos que somos toda hora contaminados por negativismos de uma mídia pouco sábia e materialista, por uma série de interesses egoísticos e por um pessimismo acadêmico. Devemos superar todo essa relativização que afasta da perfeição que está na união com o Ser eterno e o mundo das ideias.
Ainda Leibniz: “As percepções de nossos sentidos devem conter algum sentimento confuso”. “A maior satisfação de uma alma é ver-se amada pelas outras”. De certo modo o amor alimenta e sustenta, ele é o verdadeiro dinheiro e valor. E os sentidos não chegam ainda à essência das coisas ou do outro.
Por outro lado Nietzsche disse que era um niilismo ver o mundo pelo que ele não é. Assim ele criticava Sócrates, Platão, Hegel e Schopenhauer, ele os achava decadentes, bem como tudo o que levaria para um “além mundo”. Para ele metafísica não passava de uma palavra vazia. E ele achava a linguagem uma senhora enganadora (no Crepúsculo dos Ídolos). Em parte está certo, porque vivemos o mundo agora e a realidade a que partilhamos é a presente, não a de uma reminiscência ou de alguma futurologia. Para ele metafísica não passava de uma palavra vazia.
            O problema da realidade para as pessoas está na divergência com a sua expectativa, daí resultando a frustração. Esse círculo psicológico vai renovar a ação ou na desmotivação levar o ser para a depressão, para o ódio, rancor e tantas reações frente uma realidade desvantajosa. A atitude mental positiva ou negativa é que vai favorecer a escolha entre uma realidade que pode ser boa ou não e o passado já não existe mais. Vivemos um eterno agora, uma realidade presente.


Excerto de programa de rádio Filosofia é liberdade, que vai ao ar todo o sábado, às 21:40 h, na rádio comunitária Liberdade FM, 87,9.

Comentários

  1. Bem, quando falamos de relatividade da concepção que temos da realidade em razão do ponto de vista, não quero dizer que nada faz sentido, pelo contrário, tudo faz sentido, mas o sentido é dinâmico e mutante, o que gera para nós a necessidade de perene atualização. É triste ficar fora do contexto porque o mundo girou e nós ficamos inertes.CLÉVERSON ISRAEL MINIKOVSKY

    ResponderExcluir
  2. Uau será que você e mesmo real ? rsrsr bj

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Medicina Oculta – Comportamentos que geram doenças

Por que às vezes nos achamos feios?

Paradoxos e mentiras do nosso tempo